sábado, 29 de novembro de 2008

Meccão em San Salvador de Jujuy - AR

Estou teclando de San Salvador de Jujuy - AR, cerca de 2.000km de Sampa e 250km da fronteira com o Chile. Deixamos Ing. Juarez pela manhã, com chuva!!!! Abastecemos no unico posto da cidade, com nafta YPF, Super, e foi uma grande M.... Minha moto, além de ratear muito, consumiu bem mais. A moto do Atie até desregulou a carburação. Então, quando visitarem aquela megalópolis Ing. Juarez, na Ruta 81, cuidem-se.

O dia foi nublado e nao fez tanto calor. Tivemos alguma dificuldade com abastecimento, pois a ruta é nova e há lugares com postos em pequenas vilas, distantes da pista de 3 a 7km. A cada 20 ou 30 km, há os pueblos com 2.000 a 7.000 habitantes que vivem da pecuária e do comércio entre eles e que faz nascer um povoado e um pequeno centro.

O unico movimento, à noite, é dos jovens que andam em 2 ou 3 (meninos ou meninas) nas pequenas motoquinhas. Passam horas circulando pelas ruas esburacadas e sem asfalto. Não há insegurança, pois todos se conhecem. O único restaurante daquele povoado (Ing. Juarez) até que serviu bem um bife de chorizo e ligou um super ventilador nas costas da gente para aguentar o calor. Enfim, naã há nada que se possa postar de fotos ou comentários sobre essa ruta, por onde se cruza com um outro veículo a cada 10 ou 15 minutos...

Chegando aqui, em S. S. Jujuy, o Atie levou a moto dele a uma pequena oficina, onde foi regulada, substituiu a lampada do farol (bi-xenon pifou), completou o nivel de óleo, deixando a DR800 pronta para encarar o morro e o deserto do outro lado.

A minha tem, somente, o problema que faz o motor acelerar quando paro (entrada de ar por algum lugar). De resto, está se comportando muito bem. O Atie confirmou que minha LC passa dos 16 a 17 km/l em tocadas a 120/130 km/h. Normalmente, abre reserva com 180km, podendo rodar mais uns 45 km.

Tao logo cheguei no hotel, com o Atie ocupado com a DR, fui num boteco e degustei uma Quilmes Imperial de 970ml, super gelada. Desceu redondinho, gente.

Estamos no centro de SSJujuy, teclando e esperando que um restaurante LJ Parrilla comece a servir. Estamos doidos para comer uma parrillada argentina e só temos hoje para isso, já que amanhã almoçaremos no Chile.

Durante todo o trajeto entre Paraguai e a Ruta 81 não pudemos fazer bem o uso do GPS do Atie por falta de mapas e corremos alguns riscos de abastecimento, localização de hotéis e direção a seguir. A partir da entrada na Ruta Nacional 34, com os mapas no GPS, ficou tudo mais simples. Então, quem quiser fazer bom uso de GPS precisará inserir todas as informações necessárias para obter respostas rápidas e certeiras.

Utilizaríamos a ruta que passa pela provincia do Chaco, mas por dicas dos locais, usamos a ruta 81, provincia de Formosa, que já está totalmente asfaltada. Não se deve viajar à noite por ela, pois além dos animais silvestres que a atravessam, há centenas de bois, vacas, jumentos pastando à beira da estrada. Nao há nenhuma patrulha incumbida de multar os donos e recolher os animais.

Incrível, o único gendarme a me parar foi para pedir que eu avisasse o Atie para acender o farol, ja que o dele andou apagado o dia todo. Ninguém, na Argentina, nos parou para qualquer sacanagem.

Bem diferente do que ocorreu no Paraguai, quando fomos ao porto de Asunción para pegarmos a balsa, que nos atravessaria para a Argentina (cidade de Clorinda). Estávamos já com os passaportes carimbados pela Imigração quando fomos chamados a uma salinha lateral por um policial fardado e começou o papo de "cerca Lourenco" que nós, viajantes, tanto conhecemos. Além de indagarem sobre o que fazíamos no Brasil (eu aposentado e o Atie, polícia e jornalista), fizeram revista pessoal para localizar armas ou qualquer outra coisa. Queriam que o Atie apresentasse autorização da polícia civil de São Paulo para deixar o Brasil! Alegavam que só o passaporte não servia! O Atie falava tanto (um pouco mais que o costume... rs) que os carinhas viram que daquele mato nao sairia cachorro e liberaram-nos. Foi o único local no Paraguai onde complicaram com o descomplicado e, aparentemente, para conseguir algo.

Por hoje é só, minha gente. Fiquem com Deus!

3 comentários:

Pilão disse...

Meccão, essa na minha opinião é a parte mais bonita da Cordilheira...espero as fotos !

Grande abraço !

vani.mecca disse...

Mas este Blog está um verdadeiro "Diário de Motocicleta" Daddy!!!
To adorando!!!
Bjs, Vanessa.

R. Mecca disse...

Grande Pilao e Vanessa,

Como percebem, ainda estamos em Jujuy por problemas mecanicos na moto do Atie. Esperamos subir amanha e farei fotos o mais que puder. Aqui embaixo, antes da subida, tá caindo chuva o tempo todo o que poderá prejudicar as fotos. Sendo otimista, conseguiremos que a chuva pare logo mais, a uns 3.000maltura...
Abraco a ambos. Continuem prestigiando esse diarista metido amotociclista...